sábado, 26 de setembro de 2015

Repensando a vida

Olá leitores,

Gostaria de lhes contar um fato verídico que aconteceu com um conhecido meu há poucos dias e me deu uma nova forma de pensar sobre a vida.



Ele tinha quase que a mesma idade que eu e tinha uma filha pequena, assim como eu. Um cidadão trabalhador, esforçado e um bom pai de família.

No dia do seu aniversário saiu com a esposa para comemorar tudo de bom que estava acontecendo em suas vidas e o quanto haviam conquistados juntos .

Ao saírem do restaurante foram abordados por 2 marginais que mesmo tendo entregues tudo o que tinham, foi acertado com dois tiros e acabou falecendo nos braços da esposa.

Um cara gente boa que deixa uma esposa e uma filha pequena devida a esses marginais filhos das putas defendidos por Zé ONGs dos Direitos Humanos sustentados com dinheiro público desse governo comunista de merda.

Até agora não acharam os dois bandidos mas também não alteraria em nada pois devidos ao relatos esses dois fdps aparentavam serem menores de idade. Essa é a triste realidade do nosso país.

Tudo isso me fez pensar muito em relação como estou levando a minha vida e vejo que não estou aproveitando a minha família como deveria. Tem dias que chego tarde em casa e minha filha já está dormindo.

Passeios que deixo de fazer ou festas na escola que não posso ir devido ao trabalho. Vejo que não consigo ser tão presente quanto gostaria tudo porque quero trabalhar mais para ter mais dinheiro.

Esse meu conhecido era como eu trabalhava muito, estava melhorando de vida mas infelizmente sua vida foi ceifada e não poderá ver sua filha crescer.

Decidi com essa história que vou dar uma freada no ritmo de trabalho. Vou chegar mais cedo em casa, simplesmente para passear com minha família ou tomar o café da tarde com elas.

Mas isso não quer dizer que vou deixar de investir, apenas vou reduzir meu poder de aporte de 2,5k para uns 2k em média. Vou cuidar da minha saúde, da minha família e principalmente da minha felicidade.

E você amigo leitor, já deu um beijo nos seu filhos hoje?

Curta os simples momentos da vida e seja feliz.

Forte Abraço

Bons Dividendos $$$

27 comentários:

  1. Penso diariamente nisso e tento dar atenção à minha família, até mais do que sinto vontade no momento. Acho que sentir este desconforto é coisa de geração estragada pela revolução cultural que ataca a instituição familiar.
    Não existe coisa mais gratificante que cuidar de quem ama.
    As vezes penso: "ah não vou ir na padaria da esquina, porque ir dois quando pode ir um só?", mas vou igual. Não quero olhar pra trás e pensar que perdi tempo longe de quem amo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uorrem você trabalha nas horas vagas? Que inveja hein

      Excluir
    2. "Não existe coisa mais gratificante que cuidar de quem ama.". É o que sempre pensei e não estava aplicando. Agora vou seguir de verdade esse pensamento.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isto aí Mr. Dividendos, tem coisas que a grana não compra. Ontem por exemplo fiquei com meu filho 2 horas na parte da manhã, 2 horas na horas do almoço e mais 2 horas de noite. E consegui trabalhar e treidar, mas fiz isto nas horas vagas, a prioridade é sempre a familia, nas horas vagas eu faço o resto.

      Excluir
    2. Grande Uó, que bom que você está conseguindo aproveitar o seu filho, continue assim porque o nosso maior patrimônio é a nossa família. abraços

      Excluir
  3. Triste história, meu caro, como se já não fosse difícil o suficiente viver em país de terceiro mundo, ainda corremos o risco de ter a vida interrompida de uma maneira trágica e repentina como essa.

    ResponderExcluir
  4. Quando perdemos algum conhecido por doença, acidentes ficamos tristes mas dá pra entender

    O duro é perdermos pessoas para bandidagem isso me dá uma revolta, da vontade de sair na rua matando um a um desses delinquentes, matar é pouco pra esses marginais, o certo é deixar eles fazendo o que menos gostam: trabalhar forçado pelo resto da vida.

    Por essas e outras que pessoas como Bolsonaro vem ganhando voz na sociedade, não aguentamos mais tanto crime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que tirar esses vermelhos do poder antes que eles acabem de vez com o Brasil

      Excluir
  5. Este papo dos zé ONGS me revolta.
    Não da mais para aguentar uma patifaria destas, conforme a crise se intensificar toda violência vai aumentar alcançando níveis nunca antes vistos na historia deste pais.
    Ainda tem zé bandido defendendo esta corja de safados, tem que botar esse cuzão no serviço escravo pagar arrecadar dinheiro para o estado.
    Não como é feito aqui, com a esquerda fodendo a vida do cidadão de bem com esta tese que ninguém nasce bandido.





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara o que mais me irrita é esse papinho de Direitos Humanos. Perco a cabeça com qualquer um que defende bandido e discuto mesmo. Bandido tem mais é que se fuder mesmo. Abraço

      Excluir
  6. As vezes fico imaginando, se chegarmos em um país sério e falarmos o que acontece no Brasil em relação as leis e suas punições, o governo em geral, independente de partido, e os valores da sociedade hoje, acho que iam pensar que é uma brincadeira, que isso é uma piada, não levariam a sério.
    Por essas e outras penso em não ter filhos,nada contra aos pais que aqui cometeram, pelo contrario vocês tem meu respeito e admiração. Eu só não gostaria de colocar um filho nesse mundo de hoje e de repente eu faltar para ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colocar um filho nesse mundo louco é mesmo complicado. Cada dia mais eu me desiludo com a sociedade. Abraços

      Excluir
  7. Parece que o mestre dos centavos faleceu.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Mr. Dividendos. Alguma vez você já pensou que se não tivesse esposa e filha sua situação financeira poderia estar melhor que agora? Você seria capaz de viver solteiro e sem filhos ou você tem essa necessidade/carência de ter alguém ao lado e uma descendência para justificar a sua vida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou casado, tenho um filha e minha esposa está grávida.
      Tenho dinheiro suficiente para ter imóvel próprio quitado, carro próprio quitado, plano de saúde top para todos, ações, fiis, seguro de vida, seguro residencial, seguro do carro, TD, ppç. Geladeira cheia com tudo de bom, saio a noite direto. Viajamos pelo menos 3 vezes por ano. Sem contar passeios de fim de semana.
      Enfim, vc realmente acha que alguém tem que ficar preocupado com independecia financeira mais perto se não fosse casado e não tivesse filhos?
      IF não existe colega. Vc conhece algum milionário que não trabalha. Cite um.
      Eu pretendo viver bem. Trabalhando e vivendo bem.
      Melhor do que ficar tendo uma vida de merda dentro de um quarto contando moedinhas esperando a futura (que nunca chegará) IF.
      Abraço!

      Excluir
    2. Entendo seu ponto de vista. Não conheço o seu histórico, mas fiz essa pergunta porque acho que ter uma família completa assim como você descreveu representa gastos consideráveis que você poderia usar para investir e tornar-se mais rico caso fosse sozinho e sem dependentes. É tudo uma questão de percepção própria porque, para uns, por exemplo, uma renda mensal de 10 mil é suficiente para sobreviver, enquanto que para outros sustentar todas as regalias que o mundo oferece demandaria talvez mais de 100 mil a cada 30 dias.

      Eu realmente não conheço algum milionário que não trabalha. Na verdade eu não conheço milionários. Porém, tenho quase certeza de que eles não olham para os seus investimentos como trabalho e sim mais como um estudo. Basicamente eles têm que estudar onde será melhor colocar o seu dinheiro. Onde haverá maior lucro. Eles não seguem necessariamente aquele ritual de acordar às 7 para ir trabalhar e chegar em casa às 20. Eles podem se dar ao luxo de não querer sair de casa em um certo dia para ir trabalhar. Talvez alguém com uma renda mensal igual à sua que viva sozinho e sem dependentes (filhos) possa alcançar esse nível de viver só dos retornos dos investimentos mais rápido do que quem tem uma família para "sustentar". É só a minha visão. Abraço.

      Excluir
    3. Vou de dar um bom exemplo JA: trabalho na CGU e ganho 14 mil líquido. Muito? Acho que não. Minha esposa é promotora e ganha 22 mil líquido. É ruim casar?

      Excluir
    4. Anônimo 28 de setembro de 2015 16:21

      Penso semelhante a você, vejo em alguns blogs o pessoal falando que se você casar acabou com a vida, nunca mais vai ter dinheiro e bla bla bla... Acho que isso depende quem você escolhe para dividir a sua vida, se você escolher uma mulher qualquer que não tenha ambição nenhuma na vida aí com certeza você não acumular um certo patrimônio, no outro caso, no seu caso por exemplo, você procurou uma mulher com ambição que quer ter seu próprio seu dinheiro, ser independente financeiramente, excelente. Acho que casamente é para somar, não para diminuir.

      Excluir
    5. E o que impede de uma mulher que ganha mais que o marido trair ele, transformar a vida dele em um inferno com exigências, pedir o divórcio e ficar com metade ou mais do patrimônio dele e uma pensão, dar queixa na delegacia da mulher por estupro apenas pro vingancinha. E não me venham com esse papo de que conhece a mulher, isso todos falam, depois do divórcio dai caem na real.

      Excluir
    6. Senhores anônimos de 28 de setembro às 16:21 e 22:19, realmente vocês têm um pouco de razão. Eu não tinha pensado por esse lado. Mas eu vejo isso como um "interesse". Talvez um interesse mútuo. Eu só estava pensando no meu, em como eu conseguiria manejar as coisas da melhor forma possível sozinho, sem dependências. Mesmo assim vou continuar com essa ideia, não vou me submeter à um casamento. Não só pela autossuficiência financeira. Por outros motivos bem pessoais.

      Anônimo de 29 de setembro às 09:54, eu também entendo o seu modo de ver esse assunto, mas você não acha que está exagerando um pouco, não? Kkkk... Essa situação hipotética que você lançou envolve uma verdadeira psicopata. Kkk... Mas você tem um pouco de razão porque com um salário mensal tão bom como o do outro anônimo acima um casal tem que pensar em separação de bens.

      Excluir
  9. No fim das contas, poupamos, aportamos e investimos pra ter qualidade de vida. Nem sempre aportar mais quer dizer ganhar mais, temos que equilibrar.

    Sugiro a todos a pesquisarem a história do banqueiro e do pescador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um banqueiro de investimentos americano estava no cais de uma povoação das Caraíbas, quando chegou um barco com um único pescador.

      Dentro do barco, havia vários atuns amarelos de bom tamanho.

      O americano elogiou o pescador pela qualidade do pescado e perguntou-lhe: “Quanto tempo gastou para pescá-los?”

      O pescador respondeu que pouco tempo. Então americano perguntou: “Por que não gasta mais tempo e tira mais pescado?”

      O pescador disse que tinha o suficiente para satisfazer as necessidades imediatas da sua família. Mais uma vez, americano perguntou: “Mas o que você faz com o resto do seu tempo?”

      O pescador disse: “Depois de pescar, descanso um pouco, brinco com os meus filhos, tiro um cochilo com minha mulher, vou ao povoado à noite, onde tomo vinho e toco violão com os meus amigos.

      O americano replicou: “Sou um especialista em gestão e poderia ajudá-lo. Você deveria investir mais do seu tempo na pesca e adquirir um barco maior. Depois, com os ganhos, poderia comprar vários barcos e eventualmente até uma frota de barcos pesqueiros.

      Em vez de vender o peixe a um intermediário, poderia fazê-lo diretamente a um processador e eventualmente até abrir a sua própria processadora. Poderia assim controlar a produção, o processamento e a distribuição.

      Deveria sair deste pequeno povoado e ir para a capital, de onde geriria a sua empresa em expansão”.

      O pescador perguntou: “Mas, quanto tempo demoraria isso?”

      O americano respondeu: “Entre 15 e 20 anos”.

      “E depois?“, perguntou o pescador.

      O americano deu risada e disse que essa era a melhor parte: “Quando chegar a hora, deveria anunciar uma IPO (Oferta Pública de Aquisição) e vender as ações da sua empresa ao público. Ficará rico, terá milhões! ”

      Milhões … E depois?“, tornou o pescador.

      Daí o americano responde:
      “Poderá então se aposentar e ir para uma cidade no litoral, onde pode dormir até tarde, pescar um pouco, brincar com os seus filhos, dormir a sesta com a sua mulher, ir todas as noites ao povoado tomar um vinho e tocar violão com os seus amigos”.

      Então o pescador pergunta: “Por acaso isso não é o que já tenho?”

      Moral da história
      Será que não seríamos mais felizes se simplesmente aproveitássemos o que já temos? A felicidade está no caminho, não no fim.

      Excluir
    2. Um banqueiro de investimentos americano estava no cais de uma povoação das Caraíbas, quando chegou um barco com um único pescador.

      Dentro do barco, havia vários atuns amarelos de bom tamanho.

      O americano elogiou o pescador pela qualidade do pescado e perguntou-lhe: “Quanto tempo gastou para pescá-los?”

      O pescador respondeu que pouco tempo. Então americano perguntou: “Por que não gasta mais tempo e tira mais pescado?”

      O pescador disse que tinha o suficiente para satisfazer as necessidades imediatas da sua família. Mais uma vez, americano perguntou: “Mas o que você faz com o resto do seu tempo?”

      O pescador disse: “Depois de pescar, descanso um pouco, brinco com os meus filhos, tiro um cochilo com minha mulher, vou ao povoado à noite, onde tomo vinho e toco violão com os meus amigos.

      O americano replicou: “Sou um especialista em gestão e poderia ajudá-lo. Você deveria investir mais do seu tempo na pesca e adquirir um barco maior. Depois, com os ganhos, poderia comprar vários barcos e eventualmente até uma frota de barcos pesqueiros.

      Em vez de vender o peixe a um intermediário, poderia fazê-lo diretamente a um processador e eventualmente até abrir a sua própria processadora. Poderia assim controlar a produção, o processamento e a distribuição.

      Deveria sair deste pequeno povoado e ir para a capital, de onde geriria a sua empresa em expansão”.

      O pescador perguntou: “Mas, quanto tempo demoraria isso?”

      O americano respondeu: “Entre 15 e 20 anos”.

      “E depois?“, perguntou o pescador.

      O americano deu risada e disse que essa era a melhor parte: “Quando chegar a hora, deveria anunciar uma IPO (Oferta Pública de Aquisição) e vender as ações da sua empresa ao público. Ficará rico, terá milhões! ”

      Milhões … E depois?“, tornou o pescador.

      Daí o americano responde:
      “Poderá então se aposentar e ir para uma cidade no litoral, onde pode dormir até tarde, pescar um pouco, brincar com os seus filhos, dormir a sesta com a sua mulher, ir todas as noites ao povoado tomar um vinho e tocar violão com os seus amigos”.

      Então o pescador pergunta: “Por acaso isso não é o que já tenho?”

      Moral da história
      Será que não seríamos mais felizes se simplesmente aproveitássemos o que já temos? A felicidade está no caminho, não no fim.

      Excluir
  10. É meu caro, é um ótimo conselho. Querer fazer uma boa reserva, para parar de trabalhar logo é muito bom.. mas talvez não a qualquer custo. Mantenho meus investimentos, mas mantenho um percentual que penso ser adequado sem abrir mão também totalmente de viver. Agora.. uma coisa que tenho visto muito e acredito que vou tentar embarcar nessa, é sair do Brasil... está impossível ... se quiser dá até pra adequar esse pensamento aos investimentos... cenário incerto, o risco é gigante... muito risco teria que haver muito retorno .. o que não é caso ...

    Achei bacana seu blog, estou colocando na lista do meu, também estou buscando um bom retorno de investimento. Se quiser conhecer: http://analiseinvestimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir